Positive Company

Checklist: como ser um investidor de sucesso na bolsa

Ser um investidor de sucesso é algo desafiador, mas com o conhecimento que este checklist traz, você descobrirá como facilitar este caminho.

na imagem é possível observar uma pessoa sentada em uma cadeira em frente a uma mesa, onde há um computador, papéis, dois celulares e uma calculadora. Ela está realizando um checklist de como ser um investidor de sucesso. | Checklist: como ser um investidor de sucesso na bolsa de valores.
Em 2021, existem 3.687.026 pessoas com seus CPFs registrados na bolsa, sendo 2.679.044 homens e 1.007.982 mulheres. | Foto:  Karolina Grabowska – Pexels

Ser um investidor de sucesso é algo desafiador. 

É uma união de foco, estudo, disciplina, organização e estratégia. Por isso, é comum que algumas pessoas se percam e não saibam o jeito certo de investir.  

Entretanto, algumas ferramentas podem nos auxiliar a atingirmos esse status de sucesso e uma delas é o checklist.

Segundo o livro The Checklist Manifesto, escrito pelo Médico Atul Gawande, “Checklists parecem fornecer proteção contra tais falhas(psicológicas). Eles nos lembram dos passos mínimos necessários e os explicitam. Eles não apenas oferecem a possibilidade de verificação, mas também instigam uma espécie de disciplina de maior desempenho.”

E, visando atingir a disciplina e melhorar consideravelmente o seu desempenho no mundo dos investimentos, nós preparamos esse artigo com um Checklist de como ser um investidor de sucesso. Vamos dar um pequeno spoiler: ao fim do texto traremos um infográfico no qual você poderá usar como guia, mas para compreender o que tem nele, você vai precisar das informações que estão no texto. 

Então, vem com a gente desbravar o mundo dos investimentos!


O que você vai aprender neste artigo:

Investidores por todos os lados, dinheiro no bolso de poucos

na imagem em formato gif, um homem de roupa social coloca a mão nos bolsos e os tira para fora, demonstrando que não há dinheiro ali. | Checklist: como ser um investidor de sucesso na bolsa de valores
Investidores por todos os lados, dinheiro no bolso de poucos. | Imagem: Giphy

Você já parou para pensar ou tentou imaginar quantas milhares, melhor dizendo, milhões de pessoas estão atuando dentro da bolsa de valores brasileira? Bem, para sermos mais específicos, até o momento em que escrevíamos este artigo, em 2021, existiam 3.687.026 pessoas com seus CPFs registrados na bolsa. Um número surpreendente, não é mesmo? 

Por mais que este número seja tão alto, são poucas as pessoas as quais podemos chamar de  “investidor de sucesso”. Isso devido a um montão de charlatões prometendo soluções milagrosas, falta de conhecimento, falta de preparo emocional e, também, falta de uma fonte de informação confiável.

Aqui na Positive temos como propósito apoiar pessoas que querem aprender a fazer dinheiro investindo do jeito certo. Queremos ajudar o maior número de pessoas a fazer o dinheiro trabalhar para elas. 

Se você quer se transformar em um/a investidor/a de sucesso, siga aqui com a gente porque eu te garanto que você vai aprender muito.

E ai, está pronto/a?

O que é ser um investidor de sucesso

na imagem há uma mulher sentada em uma cama, com o notebook no colo e com o celular na mão, em ambas as telas ela observa e faz análise gráfica financeira | Checklist: como ser um investidor de sucesso na bolsa de valores
Foto: Liza Summer- Pexels

Warren Buffett, Peter Lynch, Patrícia Rezende e Thiago Nigro. O que eles possuem em comum, você sabe? 

Todos eles são investidores de sucesso, alguns estrangeiros, outros brasileiros que estão bem acessíveis nas redes sociais e que obtiveram tanto sucesso que até ensinam outras pessoas a atingirem o objetivo de dominar a bolsa de valores.

Com eles, aprendemos que ser um investidor de sucesso não é apenas estar atuante na bolsa de valores, mas se trata de um caminho, uma trajetória para o sucesso baseada em estudos. Aqui, é válido reforçar que a definição de sucesso é relativa a cada ser humano, mas no caso dessas pessoas o sucesso está atrelado aos milhões investidos e a liberdade financeira que foi proporcionada pelo mercado financeiro.

Você pode se questionar e dizer que para algumas pessoas atuar na bolsa é fácil porque já nasceram com um pezinho lá dentro, mas não é bem assim. A Patrícia Rezende, por exemplo, saiu do status de endividada para o de investidora de sucesso. Logicamente, não foi do dia para noite e é bom que você saiba que para ser um investidor de sucesso você terá que inicialmente colocar isso como objetivo. 

Se você não quer ficar milionário ou conquistar a sua independência financeira, com toda certeza o que está aqui não é para você.

Porém, caso o seu objetivo seja a transformação do aspecto financeiro da sua vida, vamos começar pelo básico, combinado?

Tenha em mente que é necessário checar que:

  • Você possui um objetivo claro de ser um investidor de sucesso
  • Se dedicará aos estudos sobre finanças
  • Irá se comprometer com a sua estratégia
  • Aprenderá a fazer o dinheiro trabalhar para você do jeito certo e sem acreditar em milagres.

Com todos esses pensamentos bem claros na sua mente, vamos ao que interessa!

na imagem no formato GIF com um fundo azul claro onde várias notas de dinheiro e moedas se empilham. | Checklist: como ser um investidor de sucesso na bolsa de valores

O que fazer antes de começar a investir?

Se você acabou de chegar no mundo dos investimentos, ou já está nele, porém ainda está um pouco perdido/a, separamos alguns passos básicos para se fazer antes de começar a investir em renda variável. Caso você já esteja investindo neste tipo de renda, sugerimos que se certifique que estes passos abaixo estão sendo cumpridos. Acredite, eles são muito importantes para manter a saúde do seu bolso nas melhores condições.

Diga adeus às dívidas

Esta é uma fase importantíssima e também a mais desafiadora, porque o problema não está em fazer compras ou dividir algo, mas sim em ter gastos muito maiores do que a renda que se tem. Dizer adeus às dívidas significa viver dentro do padrão de vida que a sua renda irá permitir e para isso, é preciso que você faça contas.

Pegue papel e caneta ou algo mais tecnológico, e comece a fazer o seu controle de gastos. Negocie dívidas grandes e elabore um plano para quitar essas dívidas. Lembre-se sempre que a pessoa rica não é quem mais compra coisas, mas sim aquela que sabe aplicar e usar o seu dinheiro de maneira sábia. 

Reduza o consumo

Calma! Não estamos falando para você cortar o seu cafezinho ou deixar de fazer coisas que gosta, tá bom? Você precisa aprender a reduzir gastos ultrapassados ou que, no momento, estão sendo dispensáveis. Um exemplo super comum e que muitas pessoas cometem é o da assinatura de várias plataformas de streaming, seja Netflix, Disney +, Amazon Prime e muitos outros. Será mesmo necessário ter todas elas? 

Esse foi apenas um exemplo, para reduzir o seu consumo você precisa analisar suas prioridades e a importância de cada gasto. Entretanto, lembre-se sempre de qual é o seu objetivo e quais mudanças você está disposto/a a fazer para chegar até ele.

Tenha controle do seu dinheiro

Você domina o seu dinheiro ou ele te domina? Se você já fez essa análise, provavelmente, chegou a uma resposta que é dominado/a por ele ou então não assume esse fato. Dizemos isso porque é muito habitual que as pessoas vivam sempre submissas ao dinheiro e isso acontece porque é o dinheiro que é o protagonista e tem o controle de tudo o que se irá fazer. Quantas vezes já disse “não sei se posso fazer isso porque não tenho dinheiro”?

Controlar o seu dinheiro, através de planilhas ou aplicativos de gestão de finanças, pode te ajudar a construir um futuro com mais respostas de “eu posso fazer isso, eu tenho dinheiro”. Portanto, assuma o protagonismo e passe a ter controle sobre o seu dinheiro.

Aprenda a poupar

Vamos começar com: Não coloque seu dinheiro na poupança tradicional.

Dito isso, aprender a poupar requer a famosa disciplina e uma maneira de desenvolver isso é tornando a ação poupar como uma obrigação. Por exemplo, todo mês você precisa fazer o pagamento do seu aluguel ou conta de luz, correto? Você irá tornar o seu “autopagamento” uma espécie de obrigação. Comece aos poucos e vá ajustando a sua realidade. O objetivo é criar uma reserva de emergência.

A reserva de emergência é o que o próprio nome diz, o modo de você se manter seguro/a em momentos conturbados. Há muitos locais para se construir uma reserva, um local que pode ser útil é guardando em um investimento atrelado ao CDI que tenha liquidez diária ou no Tesouro Direito atrelado à Taxa Selic. Nessa parte, você precisa avaliar o que funciona melhor para você, ta bom?

Dica importante: uma reserva de emergência é constituída de 3 a 6 vezes o valor do seu consumo mensal total. Depois da pandemia, a sugestão é que essa reserva seja de até 12 vezes esse valor. Como seria isso? Primeiro você irá calcular quanto você gasta em média por mês. Coloque tudo mesmo, das necessidades básicas até os seus gastos ligados ao lazer. Após ter esse número, multiplique pela quantidade de meses que você considera necessário para serem cobertos pela reserva e aí estará o valor.

Exemplo:

Meu gasto médio mensal: R$ 2.300,00

Total de meses a serem cobertos pela reserva: 6

Valor objetivo da reserva: R$ 13.800,00

Não é necessariamente obrigatório que você tenha toda a sua reserva de emergência construída antes de começar a investir em renda variável, entretanto, é o mais indicado. Se for ser ousado/a na construção da reserva junto aos investimentos em ações, tenha muita disciplina e consistência na hora de guardar o dinheiro e de separar o dinheiro para aplicar. Tome cuidado para não se guiar pela emoção e esquecer da sua reserva!

Dê o start nos investimentos

Após este processo você estará mais seguro/a para iniciar no mundo da renda variável. Porém, mesmo após estar organizado/a e controlado/a, você tem que se preocupar com um outro ponto, o conhecimento. 

Antes de dar o start efetivo nos investimentos, busque ajuda e estude sobre o mercado de renda variável e suas particularidades. Alguns tópicos básicos como diversificação de carteira, análise fundamentalista e gráfica, funcionamento do home broker, nomenclaturas e tipos de investimentos existentes são um meio de começar os seus estudos.

Mulher com expressão otimista, ativa e despreocupada, de óculos e roupa estilosa, segurando as mãos perto do peito e sorrindo abertamente e animada com a que está aprendendo sobre investimentos. | Checklist: como ser um investidor de sucesso na bolsa de valores
Chegou a hora de dar mais um passo rumo ao objetivo de ser um investidor de sucesso. | Foto: Cookie Studio / Freepik

Como descobrir o ativo ideal para investir?

Quando chegar a este ponto, provavelmente, já cumpriu os requisitos básicos que falamos anteriormente, correto?

Sendo assim, você já está preparado/a para começar a dominar a arte de avaliar ativos a fim de encontrar o que será ideal para a sua estratégia. 

Falando em estratégia, vamos deixar um assunto bem claro aqui: não comece a investir sem ter clareza do objetivo e do tipo de estratégia que irá adotar, se é de longo, médio, curto ou curtíssimo prazo. Quanto menor o prazo, mais domínio você deverá ter sobre os tópicos do mercado.

Tópicos especiais para ser um investidor de sucesso na bolsa de valores

O mercado financeiro possui diversas nomenclaturas, regras, conceitos, fórmulas, taxas, impostos e outros tópicos que você que deseja ser um investidor de sucesso precisa dominar, ou ao menos ter uma noção do que são. Por isso, preparamos alguns tópicos que são especiais e necessários para você ter sucesso na hora de fazer seu checklist. 

Valuation

Trazendo para o bom portugês, Valuation pode ser traduzido como “Avaliação de Empresas”. Ou seja, ao dominar a metodologia, significa que, de acordo com o conceito do termo, poderá estimar um valor financeiro ou real de uma determinada empresa. O valuation está atrelado ao método de análise fundamentalista e é muito mais que fórmulas matemáticas. Ele se enquadra como uma metodologia, já que o seu resultado será relativo devido as premissas e o modo que será feito. Existem várias técnicas para definir o valuation e elas são:

  • Fluxo de Caixa Descontado (FDC) ou Discounted Cash Flow (DCF);
  • Múltiplos de Mercado;
  • Valuation Contábil;
  • Valuation de Liquidação;
  • Valuation Pré-Investimento;
  • Valuation Pós-Investimento;

Entender o valuation é necessário porque ele irá te ajudar a compreender se o valor que um ativo está sendo negociado está justo ou não. Mas, lembre-se que essa não deve ser a única forma de avaliação de um ativo.

Pricing Power

O poder de precificação ou pricing power, é a capacidade de uma empresa aumentar o preço de seus produtos e serviços. Lendo assim, pode aparentar ser algo fácil, mas não é tão simples quanto podemos imaginar. Isso porque não se trata somente de aumentar os valores, mas também dos benefícios, da oferta e de como será a reação de quem está lá na ponta, o consumidor.

O pricing power é uma ferramenta poderosa para entender como a empresa está agindo e reagindo no mercado. Empresas que possuem potencial de precificação maior, geralmente, são as que oferecem produtos mais exclusivos ou que seu nicho não é tão concorrido. Por isso, entender esta métrica irá auxiliar a entender um pouco mais do potencial de retorno que investir nela poderá trazer.

Temos que ficar atentos que também há pontos que deixam uma vulnerabilidade à vista dos investidores. Dentro do cenário mercadológico podemos nos deparar com uma concorrência acirrada, por isso, avaliar outros pontos como o modelo de negócio servirá como acompanhamento chave para essa métrica.

Modelo de negócio (Canvas)

Ser capaz de entender o modelo de negócio de uma empresa é uma parte muito importante na hora de avaliar se vale a pena ou não investir nela. Quem cita a necessidade de conhecer aquilo que está prestes a aplicar o seu dinheiro, não é ninguém menos que um dos maiores investidores do mundo, Warren Buffett.

O modelo de negócios é a forma como a empresa cria, entrega e captura valor, ou seja, como a empresa se comporta de modo geral no mercado. Logo, entender isso irá lhe auxiliar a captar informações essenciais para ver o risco x retorno relacionado ali. Alguns modelos de negócio são bem famosos, como, por exemplo: franquias, marketplace, freemium, isca e anzol, assinatura e colaborativo. 

Para analisarmos o comportamento das empresas no mercado de ações, essa informação será útil para entendermos o tipo de ação que ela emite e quais os benefícios, temporais ou não, que ela oferece.

Ações Cíclicas

São pertencentes às empresas que suas oscilações são sazonais, ou seja, são aquelas que recebem forte influência de taxas, câmbio e inflação. Os setores cíclicos são mais interessantes em períodos de crescimento econômico, onde há uma perspectiva de aumento de renda e resulta positivamente no ativo. Algumas empresas são: Localiza, MRV, Tenda, CVC, Marisa, etc.

Ações de Consumo

Estas são as ações que estão conectadas diretamente ao aumento de renda da população. Pensando assim, quando há uma melhoria no número de empregos e aumento de renda, os ativos dessas empresas tendem a se beneficiar bastante. Compõem este grupo empresas do comércio, varejistas, alimentos, vestuário e bens de consumo.

Ações de Crescimento

Algumas empresas, principalmente as que estão em processo de expansão, costumam reinvestir a maior parte dos seus lucros para crescer e necessitam de investimentos externos para alimentarem este processo. Empresas que possuem este tipo de ações costumam pagar dividendos menores e a sua valorização está diretamente ligada à valorização do ativo.

Ações Exportadora

Conectadas diretamente a moedas estrangeiras, estas ações são de empresas que possuem uma influência de como está a atuação no mercado internacional. Possuem o benefício de estarem menos suscetíveis a crises internas e desvalorização do câmbio nacional, mas também estão vulneráveis às reações do mercado externo.

Ações de Valor

Ao contrário das ações de crescimento, as ações de valor são de empresas que já estão bem embasadas e estão presentes em setores maduros da economia. São, muitas vezes, líderes de mercado e suas políticas de distribuição de lucro são mais agressivas, o que significa que dividendos e/ou juros sobre capital próprio são maiores.

Vantagem competitiva

A vantagem competitiva é o que mantém uma companhia superior aos seus concorrentes na luta por um lugar ao sol no mercado. Entretanto, temos um ponto ainda mais importante, o que Warren Buffett chama de Vantagem Competitiva Sustentável, que nada mais é do que aquilo que mantém a empresa a frente dos concorrentes. É aquilo que faz com que o público não a veja como uma referência de momento, mas como uma marca, produto e/ou serviço a ser lembrado quando se trata daquele setor que ela atua.

Deste modo, a vantagem competitiva sustentável são os diferenciais que uma empresa possui e que a coloca como referência, tornando-a memorável em curto, médio e longo prazo.

Transações M&A

Merger and Acquisition (fusões e aquisições), são transações que acontecem quando duas ou mais empresas se unem. Isso acontece por meio de venda direta e compra de ações, ou da mescla entre as duas. Há diversos motivos que levam empresas a se fundirem ou a fazerem a aquisição de outras, como, por exemplo, expansão ou crises financeiras.

Geralmente, quando empresas passam por transações M&A elas estão refletindo dois cenários; o primeiro que estão absorvendo outra empresa e a partir dali terá mais fontes de lucro ou de problemas. O segundo é com objetivo de expansão, o que traz, de modo geral, bons resultados financeiros.

Retorno sobre Patrimônio Líquido (ROE)

O ROE, sigla para o termo inglês de Return On Equity, é a forma que você tem de medir a eficiência de uma empresa em ser rentável ou não. 

Mas como fazer isso? 

É necessário que algumas continhas básicas sejam feitas e que você fique atento a esta métrica.

ROE = lucro liquido / Patrimônio Liquido

Analisar este indicador vai possibilitar com que você saiba se a empresa possui bons números e se ela trará os retornos que você busca.

Inflação

De acordo com o Banco Central do Brasil (BC), a “​inflação é o aumento dos preços de bens e serviços. Ela implica diminuição do poder de compra da moeda. A inflação é medida pelos índices de preços. O Brasil tem vários índices de preços. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) é o índice utilizado no sistema de metas para a inflação”. 

Sendo assim, é bom que esse seja um dos termos nos quais você deve ter na ponta da língua, afinal, a inflação está presente no dia a dia de todo mundo e, consequentemente, irá afetar o desempenho, o lucro, as vendas e demais métricas de alguns ativos e do câmbio. 

Capital de Giro

Podemos dizer que é bem provável que você já tenha ouvido falar sobre capital de giro por aí, não é verdade? Ele é tão comentado dentro do mundo do empreendedorismo e também de investimentos que nem parece que é tão esquecido por aqueles que mais deviam se importar com ele.

O capital de giro é todo o dinheiro, ou melhor dizendo, recursos financeiros que a empresa pode acessar para garantir a continuidade das suas atividades. Ele engloba valores que estão não só no caixa da empresa, mas, também os investimentos de alta liquidez, dinheiro em contas bancárias, contas a receber e tudo o que pode virar receita e quitar as dívidas da empresa. O capital de giro pode ser classificado em líquido, negativo, próprio e associado a investimentos.

CAPEX

CAPEX é uma abreviação do termo em inglês Capital Expenditure, traduzindo para o português, seria algo como Despesas de Capital ou Investimentos de Bens de Capitais. Deste modo, ele está conectado à aquisição de equipamentos e instalações, que tem como propósito melhorar um produto, empresa e/ou serviço. Ele é uma fórmula utilizada para medir o retorno que um investimento terá acima de um projeto.

O risco x retorno dos seus investimentos

Você já deve ter percebido a essa altura do artigo que o mundo dos investimentos possui algumas boas particularidades e que está suscetível a diversas influências externas, correto? 

Você como investidor(a), ou que está se preparando para ser um, com toda certeza pensa nos retornos que poderá ter ao fazer um investimento X ou Y. Sendo assim, podemos ter um consenso: o retorno é aquilo que você espera receber em troca do seu investimento, por exemplo, quando falamos que terá um retorno de 100% do CDI.

O risco é algo que não podemos perceber com tanta facilidade como o retorno, mas é tão importante quanto. Isso porque o risco está atrelado a influência de diversos fatores externos que podem tornar aquele investimento incrível em uma grande cilada. 

Algumas das influências são:

  • Baixa produtividade de uma empresa
  • Inflação
  • Crises econômicas
  • Volatilidade do mercado
  • Quebra da empresa
  • Mudanças no câmbio
  • Risco-País

Devido a esta série de particularidades, é sempre indicado que você observe como os especialistas do mercado estão avaliando, mas lembre-se que você precisa também fazer a sua própria avaliação. Entender as influências que um investimento pode sofrer é muito importante para tomar a decisão correta. 


Por isso, agora que você já está cheio/a de conhecimento, vamos ao checklist do investidor de sucesso.

Checklist: 15 perguntas para ser um investidor de sucesso na bolsa de valores

Esperamos que você já esteja preparado/a para descobrir como fazer esse checklist para encontrar os ativos que vão te levar ao sucesso financeiro. Aqui você terá acesso a 15 perguntas que vão te guiar para como analisar um ativo. As perguntas são parte do livro “The Investment Checklist: The Art of In-Depth Research” de Michael Shearn.

Checklist: Como ser um investidor de sucesso na bolsa de valores
Baseado em SUNO

Entenda as 15 perguntas que vão te guiar na escolha do ativo ideal

Agora que você já sabe quais são as 15 perguntas que vão te guiar na escolha do ativo ideal, precisamos conversar sobre algo sério. Não adianta você querer investir e não querer se dedicar a aprender e buscar informação. Qualquer estratégia irá demandar dedicação e estudo. Se você não estiver disposto a isso, bem, talvez deva repensar o seu objetivo de ser um/a investidor/a de sucesso. 

Já que estamos alinhados, vamos a uma explicação rápida sobre cada uma das perguntinhas do nosso checklist. Bora lá?

Como você avaliaria esse negócio se você fosse o CEO? Qual a sua opinião a respeito da empresa na ótica de um consumidor?

Comece se imaginando nos dois pontos extremos de uma empresa. Sendo o papel daquele à frente de tudo (CEO) e daquele que irá receber o produto final (Consumidor). Se baseie nas percepções e nos históricos que a empresa tem.

Você consegue descrever todo o modelo de negócio da empresa com suas próprias palavras?

Agora que você já sabe o que é um modelo de negócio, escreva em um local como é o modelo da empresa na qual você está interessado/a em investir. É importante que faça a partir das suas palavras porque você irá avaliar o conhecimento que tem diante daquela empresa.

Em quais mercados a empresa opera e quais são os riscos associados a esses países?

Há diversos fatores que influenciam um investimento. O risco-país é um fator forte e que deve ser acompanhado. Existem sites nos quais você pode acessar e verificar qual índice o país em que a empresa atua está classificado, é só clicar aqui e verificar uma tabela completa dos países

Quem é o cliente principal da empresa?

Você conhece qual é o cliente principal da empresa? Caso não, é melhor ter esse conhecimento, pois é a dor dele que ela está solucionando e se você souber sobre ele, será capaz de analisar as sazonalidades nas quais ele está mais ou menos propício a consumir.

A base de clientes é concentrada ou diversificada? Qual a taxa de retenção desses clientes?

Algumas empresas possuem bases de clientes muito específicas e outras bases mais diversificadas. Alguns exemplos podem ser: metalúrgicas possuem clientes concentrados e redes alimentícias possuem mais diversidade

A empresa possui alguma vantagem competitiva sustentável? Qual a origem dessa vantagem competitiva?

Hora de aplicar o conhecimento sobre vantagem competitiva. Faça uma análise de quais são os pontos que fazem com que essa empresa consiga se manter forte no mercado. Faça um levantamento comparativo com outras empresas do mesmo setor.

O negócio possui a habilidade de subir o preço de seus produtos/serviços sem perder clientes (pricing power)?

Em perguntas anteriores respondemos sobre a taxa de retenção de clientes da empresa, aqui iremos analisar se, quando houver aumento de preços, a empresa tem a capacidade de manter seus clientes. Uma pesquisa sobre o histórico de vendas auxiliará nesta percepção.

A empresa atua em bom setor?

Se lembra quando falamos sobre os modelos de negócios e como as ações estão relacionadas, os tipos de ação e tudo isso? Aqui você irá avaliar a relação do setor com o seu objetivo com aquele ativo. Lembre-se, toda avaliação deve estar alinhada a sua estratégia.

Como é a relação com os fornecedores? São diversificados ou concentrados?

Da mesma forma como avaliamos os clientes, iremos avaliar os fornecedores. Faremos isso para ver o quanto a empresa é dependente de um, dois ou mais fornecedores e como os problemas com os fornecedores podem afetar os resultados da empresa.

Quais são os fundamentos dessa empresa? Seu balanço patrimonial é sólido?

Empresas boas são aquelas que seus fundamentos são claros e fortes. Busque entender qual o objetivo e como a empresa se comporta no mercado, além de saber, também, como anda os números da empresa.

Quais são os principais riscos envolvidos na operação? Como a inflação afeta o negócio?

Os riscos estão presentes em todos os tipos de investimentos, alguns em pequena escala e outros em grande escala. Devido a isso, visualize quais são os impactos que os cenários e os movimentos de mercado podem atrapalhar ou impulsionar o seu investimento.

As receitas são recorrentes e previsíveis? O modelo de negócios é cíclico? Como a empresa se portou em uma recessão?

Você precisa ficar atento/a às sazonalidades que uma empresa pode passar. Compreender como o seu sistema de negócio se comporta irá evitar boas dores de cabeça. Busque entender o comportamento em grandes períodos de crise e também em períodos em que o setor enfrentou alguma crise específica.

A empresa é alavancada financeiramente ou operacionalmente? Qual a sua necessidade de capital de giro e CAPEX?

Agora que sabe o que é capital de giro e CAPEX, identifique como é a situação financeira da empresa. Ela está pronta para dar bons retornos ou será uma provável torneira jogando seu dinheiro fora? Perceba que você precisa cruzar todos estes dados para ter boas respostas.

Quem é o CEO? A gestão está comprando ou vendendo ações? Ela recompra ações constantemente?

O poder da associação é muito forte, por isso, o CEO pode impulsionar ou afundar a imagem de uma empresa. Avalie o histórico e quais decisões ele tem tomado para expandir a empresa e com qual objetivo ele está fazendo tudo isso.

A empresa consegue crescer organicamente ou somente via fusões e aquisições? Qual o histórico das transações M&A?

Entender como a empresa cresce e se expande é fator importante. O retorno através de dividendos e juros sobre capital próprio podem vir dos bons resultados orgânicos, mas expandir através de fusões e aquisições podem ser um bom propulsor para o ativo. Alinhe junto ao objetivo da sua estratégia.

Continue aprendendo

Viu só? Ser um investidor de sucesso não é um monstro de sete cabeças. O que é necessário é estudar e se organizar de maneira a sempre melhorar suas técnicas e o senso crítico acima do mercado.

Como falamos lá no início do texto, não existe milagre no mercado financeiro, é preciso de foco, estratégia, organização, estudo e paciência. E agora que você já está se preparando para fazer parte do grupo de investidores de sucesso, queremos te fazer um convite. 

Esta aberta a lista de espera do curso que pega na sua mão e te ensina a como fazer o dinheiro trabalhar para você, ou melhor dizendo, te ensina a fazer dinheiro na bolsa de valores. 

Se você quer entrar para o quadro de milionários, ser um/a investidor/a de sucesso e conquistar a liberdade financeira que o dinheiro pode trazer para você, clique no botão aqui abaixo e se inscreva para a lista de espera do curso Novatos da Bolsa. 

O Novatos é o curso que você aprende a fazer dinheiro com quem saiu do status de endividada e hoje possui mais de 10 milhões de reais investidos.

E aí, você vem ou vai ficar esperando o milagre financeiro acontecer?

Seja um investidor de sucesso! Está aberta a lista de espera para o curso que irá te ajudar a fazer o dinheiro trabalhar para você. Se inscreva no Novatos da Bolsa,

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: