Positive Company

Fundos Imobiliários ou Ações: Descubra qual paga os melhores dividendos

Fundos Imobiliários ou Ações? Essa dúvida permeia a mente de muitos investidores quando o assunto é dividendos. Siga a leitura e descubra qual é o melhor para você.


Texto: Fundos Imobiliários ou Ações: Descubra quem paga os melhores dividendos
Foto: Karolina Grabowska

Qual é o maior duelo que você já viu? Harry Potter e Voldemort? Carminha e Nina? Daenerys e Cersei? Flamengo e Fluminense? É… talvez estes sejam duelos épicos que marcaram e marcam a vida de muitas pessoas. Entretanto, o duelo que falaremos aqui é muito além das telinhas ou dos gramados, vamos falar sobre o duelo que irá fazer o dinheiro trabalhar para você.

Esse que é um dos grande duelos dos investimentos, nada mais é que a batalha de quem paga os melhores dividendos: Fundos Imobiliários ou Ações?

Ambos pertencem a renda variável e são excelentes investimentos quando usados e aproveitados da maneira certa. Se você está nessa busca para descobrir qual será o mais efetivo para os seus objetivos, segue a leitura e vem fazer essa descoberta.




O que você vai aprender:




O que são Fundos imobiliários e Ações?

Apesar de pertencerem ao mesmo tipo de renda, as ações e os fundos possuem algumas diferenças significativas. Ambas pertencem a renda variável e são negociadas a partir da bolsa de valores.

As ações são pequenas frações de empresas que possuem o capital aberto e são negociadas na bolsa de valores. Ao investir nesse tipo de ativo você se tornará sócio de uma empresa e, dependendo do tamanho e do tipo de ação adquirida, você poderá receber bons dividendos e ter direitos de opinar dentro da empresa. Esses ativos possuem um risco maior, mas o seu retorno tende a ser maior também.

Os fundos investimento imobiliários (FIIs) são ‘fragmentos’, ou pequenas partes de investimentos que são focados em empreendimentos ligados a imóveis. Os fundos podem investir em imóveis físicos, em papéis como Letra de Crédito Imobiliário ( LCI) ou Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) ou podem ser híbridos. O nome dado para cada pequena parte que o investidor compra é cota. 


Rendimentos

As ações possuem uma tendência de valorização maior do que os fundos imobiliários. Entretanto, há nelas também um risco maior, já que a oscilação de preço desse ativo é superior à do FIIs. A volatilidade pode ser tanto positiva quanto negativa. Sendo assim, os FIIs são mais seguros por não terem oscilações tão grandes – mas lembrando que o risco é proporcional à rentabilidade. 

A diferença mais evidente entre os tipos de ativos está no pagamento de dividendos.Os fundos pagam mensalmente e as ações podem ocorrer de forma mensal, trimestral, semestral ou anual. 

Para o pagamento de dividendos, as empresas listadas na bolsa devem distribuir no mínimo 25% dos seus lucros e podem ficar até 3 anos sem fazer o pagamento caso não obtenham lucro no período. Já os FIIs possuem a obrigação de distribuir através de dividendos 95% dos lucros auferidos e esse pagamento é sempre mensal.


Liquidez

Ambos os ativos possuem uma fácil negociação através da bolsa de valores. 

Entretanto, você deve ficar atento a alguns detalhes como a existência de diferentes tipos de classes de empresas como as blue chips e small caps, que divergem muito no quesito liquidez. 

Ao que tange aos FIIs, deve-se ficar atento ao fato que por mais que haja muitas pessoas neste mercado, o foco desse tipo de negociação está no longo prazo, sendo assim, não é um espaço para ficar comprando e vendendo o tempo todo.


Custos

Para operar nestes ativos haverá custos com os quais você deve arcar. Alguns são cobrados pelas corretoras, outros cobrados pela bolsa de valores e há até mesmo impostos que devem ser pagos ao governo. Abaixo veja uma lista de algumas taxas:


Ações:

Taxa de corretagem– Há diversas corretoras que não fazem essa cobrança;

Taxa de custódia;

Imposto de renda (IR) (confira as regras de tributação clicando aqui

Emolumentos.


Fundos imobiliários:

Taxa de administração;

Taxa de performance;

Emolumentos;

Imposto de renda de 20% somente sobre os lucros da venda de cotas.

No momento da elaboração deste conteúdo existe um projeto de reforma tributária que pode causar impacto no sistema de tributação de dividendos.



Aprenda sobre Fundos Imobiliários assistindo ao vídeo abaixo




Comparativo de índice Ibov x Ifix

Abaixo você pode ver um recorte temporal da valorização dos principais índices ligados a cada tipo de ativo. 

O Ibov é o principal índice da bolsa de valores brasileira. Ele é composto pelas principais ações da bolsa de valores e é atualizado a cada 4 meses. Seu resultado é utilizado como um medidor da saúde do mercado de ações.

O Ifix é o índice composto por uma carteira teórica de fundos imobiliários e, assim como o Ibov, tem como propósito avaliar a situação do mercado de fundos imobiliários.


Esse gráfico representa o cenário do mercado de ações do dia 09/09/2021 às 10:02

Esse gráfico representa o cenário de fundos imobiliários do dia 09/09/2021 às 10:09

Nestes gráficos podemos perceber o crescimento de ambos os mercados nos últimos anos, entretanto é notável como o gráfico do Ifix apresenta menos oscilações no mesmo período.


Dividendos e carteiras de longo prazo


Os dividendos são uma das formas de distribuição de lucros que as empresas e os fundos utilizam para remunerar seus investidores. Esse tipo de distribuição é essencial para que nós, investidores, possamos aumentar o nosso patrimônio.

Por isso, as estratégias de investimentos que se utilizam dos dividendos são as de longo prazo, pois visam o acúmulo de riqueza e, por muitas vezes, tem como foco a liberdade financeira e/ou uma aposentadoria segura e independente do sistema público.

Ambos os tipos de ativos distribuem bons dividendos, porém a periodicidade e o risco que cada um apresenta é diferente. Desse modo, você deve recordar que no mercado financeiro a regra de quanto maior o retorno, maior o risco, está sempre presente e, não diferente, está também nos dividendos.

Abaixo você terá acesso ao top 5 ações e fundos que pagaram os melhores dividendos. 

Aqui utilizaremos somente com critério de ranqueamento o indicador Dividend Yield (DY) acumulado de 12 meses, por ser um importante indicador de análise. É válido reforçar que para fazer as escolhas e análises é necessário que outros indicadores sejam consultados.

Os fundos e ações listados abaixo não são indicações de investimentos.


Top 5 fundos

Para a construção deste ranking foi utilizado como indicador o DY acumulado de 12 meses, o intuito é de apresentar os melhores rendimentos de fundo que estão dentro do IFIX. As demais informações presentes são de conhecimento. As informações foram extraídas no dia 09 de setembro, podendo assim, ter sofrido alterações no dia da sua leitura.


5- HABT11

DY (12 meses): 14,86%

DY: 1,22%

Taxa de Adm: 0,20% a.a.

Tipo: Papel


4- ARCT11

DY (12 meses): 16,50%

DY: 0,81%

Taxa de Adm:1,00% ao ano sobre o PL do Fundo

Tipo: Híbrido


3- HCTR11

DY (12 meses): 17,19%

DY: 1,23%

Taxa de Adm:0,21 % a.a. do PL

Tipo: Híbrido


2- URPR11

DY: 1,69%

DY (12 meses): 20,21%

Taxa de Adm: 0,25% a.a. com mínimo de R$15.000,00/mês

Tipo: Híbrido


1- SPTW11

DY (12 meses): 21,15%

DY:1,04%

Taxa de Adm:0,25% a.a. sobre o valor de mercado

Tipo: Tijolo

Fontes: Fundsexplorer / B3 / FIIs


Top 5 ações

Este ranking foi estruturado a partir do DY acumulado de 12 meses, as empresas que constam aqui fazem parte da atual carteira teórica do Ibovespa e as demais informações estão presentes para que você possa ter um conhecimento a mais sobre cada ativo. As informações foram extraídas no dia 09 de setembro, podendo assim, ter sofrido alterações no dia da sua leitura.


5- VALE3

DY 12 meses: 9,47%

Valorização 12 meses: 76,36%

Empresa: Vale

Segmento: Mineração


4- BRAP4

DY 12 meses: 12,10%

Valorização 12 meses: 54,887%

Empresa: Bradespar

Segmento: Mineração


3- BEEF3

DY 12 meses: 12,24%

Valorização 12 meses: -28,24%

Empresa: Minerva 

Segmento: Carnes e Derivados


2- TAEE11

DY 12 meses: 12,23%

Valorização 12 meses: 44,22%

Empresa: Taesa 

Segmento: Energia Elétrica


1- CPLE6

DY 12 meses:13,93%

Valorização 12 meses: 23,01%

Empresa: Copel

Segmento:Energia Elétrica

Fontes: Status Invest / B3 / Gorila 

Fundos imobiliários ou ações: qual você deve escolher?


Texto: Fundos Imobiliários ou Ações: Descubra quem paga os melhores dividendos
Trecho da Batalha entre Voldemort e Harry Potter em Harry Potter e o Cálice de Fogo | Fonte: Giphy

Essa decisão é muito particular. Afinal, como vimos anteriormente, ambos os tipos de ativos possuem seus benefícios e se adequam melhor a determinadas estratégias.

Desta forma, o orientado é que você primeiro conheça o seu perfil de investidor e a partir daí você poderá entender e identificar qual é o melhor para você.

Investimentos em ações são indicados para pessoas que possuem o perfil moderado ou agressivo, ou seja, são as pessoas que assumem mais riscos para obter retornos mais significativos.

Os fundos são conhecidos por serem investimentos mais seguros, mesmo sendo investimentos de renda variável. Assim, é mais indicado a pessoas que possuem um perfil mais conservador.

É importante reforçar que as estratégias de recebimento de dividendos devem ser elaboradas para longo prazo e é aconselhado que você estude e identifique qual será o mais adequado aos objetivos que você possui.


Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: