Positive Company

Investir em BDRs e diretamente no exterior, qual a diferença?

Desde o fim de 2020 muito se tem falado das BDRs, mas qual a diferença entre investir em BDRs e diretamente no exterior?

Diferença entre investir em BDRs e diretamente no exterior
Imagem do interior da B3, Bolsa de Valores de SP — Foto: Cris Faga/Estadão Conteúdo

Até antes de outubro de 2020, os investimentos em BDRs eram exclusividades para os investidores qualificados, aqueles que possuíam mais de R$1 milhão investidos e declarados. Mas, a partir de outubro essa exclusividade caiu por terra e investir em BDR se tornou acessível a qualquer investidor brasileiro. 

Desde a democratização deste investimento, muito se tem falado sobre investir em BDRs e diretamente no exterior. A pauta ganha força e ambos os lados possuem pontos de vantagem e desvantagem.

Para entender cada uma delas, segue a leitura deste artigo e vem descobrir qual é o tipo de investimento que vai ser mais vantajoso para a sua carteira.


Você vai aprender:


Quero investir no exterior! Como faço? 

Já pensou em investir no mercado exterior, mas ficou toda confusa/o na hora de fazer acontecer? Esse é um problema que muitas pessoas enfrentam quando o assunto é fazer aplicações em empresas como Google, Amazon, Facebook, Apple e outras gigantes americanas, europeias e asiáticas. 

Há duas formas nas quais você pode fazer esse processo de investimento no exterior. O primeiro é fazer a aplicação diretamente no mercado da respectiva região que deseja investir. O outro é fazer aplicações aqui na bolsa de valores brasileira, a B3, através dos BDRs –Brazilian Depositary Receipts.

O que são BDRs

Diferença entre investir em BDRs e diretamente no exterior
Foto: For4Asken / VisualHunt

De acordo com a B3, o BDR é “um certificado emitido por instituições brasileiras que possibilita o acesso às ações das maiores empresas globais e ETFs mais negociados no mundo. É uma alternativa para diversificação de portfólio, pois ele pode ser acessado de forma simples, pelos sistemas das corretoras, sem a necessidade de mandar dinheiro para o exterior e sem a preocupação com a conversão do câmbio”, descreve a instituição.

Sendo assim, pode-se entender que os BDRs são uma forma de se fazer uma aplicação em grandes empresas do mundo, sem que necessariamente você tenha que mover seu dinheiro para uma conta no exterior. 

Como funcionam as BDRS

Os BDRs são títulos emitidos pelas instituições depositárias, ou seja, instituições que fazem a aquisição destes ativos no exterior e os trazem em forma de recibo para serem negociados na bolsa brasileira. Sendo assim, as instituições fazem as compras e garantem que os BDRs sejam lastreados em ativos no exterior. A partir disso o investidor pode investir no BDR, mas ele não será sócio das empresas pois ele está investindo em títulos que representam esses papéis.

As instituições depositárias são responsáveis em garantir que o título BDR esteja devidamente cadastrado em uma custodiante –instituição estrangeira que faça a guarda dos ativos, além disso, ela também é responsável pela emissão dos Brazilian Depositary Receipts e pelo repasse das informações financeiras referentes ao título.

Taxas e tributações das BDRs

Os BDRs seguem um padrão de tributação que se aproxima da tributação de ações, mas possui algumas particularidades. O imposto de renda (IR) acima da venda com lucro possui uma alíquota de 15% para operação de swing trade e mais longas e de 20% para operação de day trade.

Ao contrário das ações, que possuem isenção em vendas mensais de até R$20 mil, os BDRs não possuem essa isenção e, por isso, deve-se pagar o IR em todas as operações independente do valor negociado.

Diferença entre investir em BDRs e diretamente no exterior
Foto: Rednuht / VisualHunt

Como investir diretamente no exterior

Com o passar dos anos, aplicar no exterior tem se tornado algo mais fácil devido à acessibilidade que o investidor brasileiro passou a ter para a abertura de contas no exterior. O primeiro passo para entrar diretamente no mercado exterior é buscar informações. Inicialmente, busque entender quais são as regras que regem o mercado de capitais da região a qual deseja aplicar.

Tendo conhecimento das regras do funcionamento do sistema financeiro, das particularidades do câmbio, os fundamentos econômicos do país e ao risco político, você tem que identificar a instituição que será a intermediadora entre seus investimentos e a empresa na qual irá investir.

Existem corretoras internacionais e nacionais que facilitam que brasileiros possam entrar no mercado exterior. Por isso é preciso fazer essa busca detalhada e entender quais serão os custos, taxas internacionais e as nacionais para esses investimentos, além de ficar atento à oscilação do câmbio.

Taxas e tributações para investir no exterior

Sobre os investimentos feitos diretamente no exterior, existem algumas particularidades que o investidor deve ficar atento. Para que seu investimento seja feito diretamente no exterior é preciso que seja enviada a quantia a ser aplicada e, acima desta transação, é incidido o Imposto sobre operações financeiras (IOF) de 1,1%  sobre o valor enviado.

Na Receita Federal haverá descontos em imposto de renda somente se o valor do lucro da venda superar R$35 mil. Não ultrapassando este valor, o investidor fica isento do IR. É importante ficar atento ao tributo sobre herança americano de 40%, no Brasil essa taxa média é de 4%.

Vantagens e Desvantagens de  entre Investir em BDRs e diretamente no exterior

Como tudo na vida, investir em BDRs e diretamente no exterior possuem suas particularidades. É sempre importante lembrar que para selecionar a melhor opção para o seu planejamento e objetivo, deve-se levar em conta a sua realidade e o que se encaixa melhor no seu dia a dia. Para auxiliar, abaixo você pode conferir quais são as vantagens e desvantagens de cada uma das opções.

BDRs DIRETAMENTE NO EXTERIOR
Vantagens

Negociados em Real, ou seja, não é necessário fazer pagamento de taxa de câmbio e já possuem em si os valores da cotação internacional.
Possibilita a diversificação da carteira do pequeno investidor.
Lote mínimo de 1 unidade, facilitando o acesso.
Vantagens

Possui a segurança de estar investindo em uma moeda mais forte;
Recebe dividendos como os demais acionistas, podendo aumentar o patrimônio;
Grande número de empresas para fazer aplicações;
Isenção de IR até R$35 mil;
Facilidade de abrir contas no exterior por corretoras nacionais e internacionais.
Desvantagens

Não é uma ação, ou seja, a sua paridade é mais complexa. Por exemplo, 10 BDRs equivalem a uma ação.Retenção de parte do dividendo pela instituição depositária.
Pagamento de imposto de renda sobre dividendos é obrigatório. 
Baixa liquidez se comparado às ações diretas no exterior.
Desvantagens

Cobrança do IOF de 1,1%
Spread, taxa sobre a conversão de moedas e taxas de corretagem.Demonstrações financeiras em outro idioma.
Tributação de dividendos no país de origem. Nos EUA os dividendos são taxados em 30%.

Mas, entre elas, qual opção é melhor, Investir em BDRs ou diretamente no exterior?

Quando você faz um investimento via BDR, como já foi falado, na verdade compra recibos. Portanto, é uma instituição que compra ações estrangeiras, e repassa essas ações compradas para o mercado interno. A forma na qual a instituição faz isso é a partir do oferecimento do recibo desta compra. 

Logo,  o investidor de BDR não se torna sócio efetivamente das empresas financeiras, além disso, também tem algumas particularidades em relação aos dividendos, porque não é sócio da empresa e sim do título

Ao analisarmos, hoje, o investimento em BDRs já não é mais tão interessante, isso porque houve uma facilitação muito grande na abertura de contas no exterior. Sendo assim, caso um investidor queira fazer aplicações no mercado americano, por exemplo, tem corretoras brasileiras que facilitam essa ponte. Então, investir diretamente no exterior se apresenta mais vantajoso, pois se você compra ações lá fora, você se torna sócio e tem as prerrogativas de sócio.

O único inconveniente que se tem é em relação aos impostos, porque neste ponto há particularidades de ser de outro país. Mas isso é algo simples, e qualquer pessoa consegue entender, porque a vantagem de investir diretamente no exterior é muito maior do que as burocracias de impostos.

Deixe um comentário