O portal Meu Bolso Feliz, uma iniciativa de educação financeira do SPC Brasil, em parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), desenvolveu um teste que classifica os tipos de consumidor.

Vamos ver qual é o seu?

Anota as suas respostas em um papel e confira ao final desta página o resultado.

1) Que visão você tem dos seus gastos?
a) Avalia os seus gastos mensalmente com a ajuda de uma planilha ou anotações de entrada e saída do dinheiro. 
b) Faz um diagnóstico, estuda semanalmente os ganhos e gastos, além de pensar nisso o tempo todo.
c) Só para e analisa seus gatos quando já está no vermelho.
d) Não pensa muito sobre isso.

2) Meus amigos me veem como alguém…
a) Econômico. 
b) Controlado, “seguro”.
c) Gastador
d) Arrojado

3) Quando você vai às compras?
a) Só quando necessário. 
b) Nunca, para não comprar o que não preciso. 
c) Sempre que dá vontade.
d) Vou bastante, afinal, comprar me dá prazer.

4) Gosta de comprar em quais tipos de loja?
a) Naquela em que, após uma pesquisa de preço, mostrou a melhor relação custo-benefício.
b) Lojas conhecidas e com preços mais “baratos”.
c) Nas grandes magazines, com muita variedade de mercadoria.
d) Nas mas badaladas, onde todo mundo compra.

5) Em relação ao seu consumo pessoal (roupas, sapatos, eletrônicos, acessórios etc.), você:
a) Reflete e compra apenas se estiver precisando. 
b) Compra apenas quando o item que procura entra em promoção. 
c) Gosta de novidades, compra se for algo diferente. 
d) Compra por impulso, ou seja, “viu, gostou, comprou”.

6) Se você visse o celular de última geração na loja:
a) Verificaria a necessidade de comprá-lo e, se possível, aguardaria o preço baixar. 
b) Refletiria sobre a necessidade de comprá-lo e provavelmente desistiria.
c) Compraria na hora. Realizar um sonho te deixa mais feliz. 
d) Sem fazer muitos cálculos parcelaria a compra e sairia da loja com ele na mão.

7) Tenho vontade de comprar:
a) Quando vejo algo que preciso ou me interessa muito. 
b) Raramente. Somente quando necessário. 
c) Quando recebo meu salário ou quando estou triste. 
d) Sempre.

8) Você tem ou já teve dificuldades financeiras?
a) Raramente.
b) Nunca.
c) Sempre. 
d) Às vezes.

9) O que te faz perder o controle das contas?
a) Nunca perco o controle do meu orçamento. 
b) Comprar o que gosta quando tenho vontade mesmo que não tenha condições no momento. 
c) Estar triste. 
d) Querer demonstrar para o outros o valor de quem sou.

10) Seu maior gasto financeiro é com:
a) Contas básicas – moradia, luz, escola, telefone, etc.
b) Economizo no que posso, principalmente no supermercado. 
c) Supérfluos, dificilmente lembro quais. 
d) Depende do mês e das minhas vontades.

11) Como paga as suas compras?
a) Com dinheiro ou no cartão de débito.
b) Concentro tudo no cartão de crédito e pago a fatura integral no fim do mês.
c) Parcelando no cartão de crédito. 
d) Depende de quanto tenho de crédito e das opções que a loja vai me oferecer para facilitar o pagamento.

12) Já pediu dinheiro emprestado ao banco ou a amigos?
a) Raramente
b) Nunca
c) Sempre
d) Algumas vezes

13) Não consigo realizar meus sonhos porque…
a) Dificilmente não consigo realizar meus sonhos, afinal me planejo com muita antecedência para alcançá-los. 
b) Fico com medo de gastar. 
c) Nunca tenho dinheiro. 
d) Acredito em aproveitar o hoje e invisto no presente, não guardo dinheiro pensando no futuro.

14) Os planos que faz com o seu dinheiro são: 
a) De curto, médio e longo prazo, com tranquilidade 
b) De médio e longo prazo
c) Até reflito sobre meus gastos, mas não sigo nenhum plano. 
d) Não faço planos, vivo o presente.

15) Você recebeu um dinheiro extra. O que faz?
a) Coloco tudo na poupança até decidir se gastarei em algo ou se investirei o dinheiro. 
b) Aplico tudo e não gasto nada. Quem guarda, tem!
c) Realizo um sonho, não importa qual seja.
d) Vou às compras e curto este dia comprando.

16) O que você faz com o dinheiro que sobra depois de pagar as contas? 
a) Invisto de acordo com o recomendado pelo meu gerente do banco ou segundo minha pesquisa sobre finanças.
b) Às vezes aplico ou deixo o dinheiro na conta mesmo. 
c) Raramente ou nunca sobra dinheiro para aplicar. 
d) Às vezes faço uma compra para me distrair, às vezes aplico… varia do momento.

17) Quando você recebe um aumento salarial ou sua renda aumenta, o que você faz?
a) Não faço nada. Aproveito o aumento para poupar mais. 
b) Revejo meu orçamento, aumento o investimento na poupança e, de quebra, compro algo que necessito. 
c) Pago minhas dívidas mais imediatas e passo a gastar mais, afinal, eu mereço! 
d) Aproveito para comprar tudo que eu tenho vontade.

18) Como você se decide por uma aplicação bancária?
a) Pesquisa muito sobre o assunto, lendo bastante e também se informando com amigos. 
b) Consulta amigos e alguns sites e às vezes desiste da aplicação para não correr riscos. 
c) Não sobra dinheiro para aplicar. 
d) O que o gerente do banco recomendar eu faço.

19) Você faz uma poupança ou algum tipo de reserva financeira?
a) Sim
b) Ainda não, mas estou pensando em fazer.
c) Não, nunca sobra dinheiro para isso. 
d) Já tive, mas parei.

Maioria A – Precavido 
Você pensa no futuro e sabe que, para não sofrer com a falta de dinheiro, é preciso paciência e tranquilidade. Moderado, procura refletir sobre a sua compra antes de sair gastando por aí. Equilibrado e sensato, coloca na balança seus sonhos e ambições futuras, entendendo que “viver como se não houvesse amanhã” pode ser uma grande armadilha. Você está no caminho certo para ter um bolso saudável e sem estresse. Como você já tem consciência sobre consumo, tente dar um passo além e poupar se informando sobre os melhores investimentos disponíveis no mercado. Pesquise as melhores condições para ter uma sólida reserva ou até um plano de previdência e faça o dinheiro trabalhar para você. Se você se dedicar a estudar um pouco mais as questões financeiras e aplicar o dinheiro da maneira correta, verá que a realização de seus sonhos ficará muito mais simples.

Maioria B – Controlado 
Muito bem controlado, você pondera seus gastos, diferenciando seus interesses das suas necessidades. No entanto, por ser controlado, às vezes acaba agindo de forma unilateral perante a vida, descartando opiniões diferentes das suas. De certa maneira, parece viver com o freio de mão puxado, colecionando dinheiro. Não gasta de forma descontrolada, porém perde possibilidade de bons investimentos e até de bons momentos, pensando mil vezes antes de tomar qualquer atitude fora de sua zona de segurança. Procure se abrir mais para novas possibilidades e experiências que o dinheiro pode proporcionar, afinal, todo mundo tem sonhos que podem ser alcançados com um bom planejamento financeiro. Agindo com inteligência, você encontrará um bom investimento que pode dar bons rendimentos e até proporcionar outros prazeres, além do simples hábito de não gastar.

Maioria C – Impulsivo
Você compra movido pela necessidade de adquirir um bem no instante em que viu. É uma atração imediata que você precisa conquistar para sentir prazer. Quando gosta, compra. Afinal, por que esperar? Você esquece dos objetivos que exigem tempo para serem alcançados, optando pela recompensa imediata em detrimento de um bem maior, que é o prazer da conquista, fruto de um planejamento e de seu trabalho. Aprenda a respeitar e contar até 10 antes de agir! Guarde o cartão de crédito e peça ao banco para reduzir ao máximo seu limite de cheque especial para não ceder à tentação. Você vai pensar melhor antes de comprar. E não se esqueça: no dia em que receber seu salário, guarde imediatamente um pouco na poupança. Assim, o que sobrar em sua conta é para cobrir as despesas do mês e fazer algumas compras e passeios, sem deixar espaço para o impulso.

Maioria D – Compulsivo
Seus hábitos de compra são movidos pelo emocional. Adora “se dar” presentes e cada um deles funciona como uma espécie de alívio sentimental. Quando compra, fica feliz: se não pode comprar, se sente frustrado. Essa atitude ocorre automaticamente e de forma continuada e excessiva. Esforce-se para consumir apenar o que necessita, controlando seus impulsos de compra. Com novos hábitos, como o de listar seus gastos e dívidas dentro de sua renda, você passará a gastar em coisas que realmente te dão prazer e sobrará dinheiro para você poupar e realizar seus sonhos. Tire do fundo do baú aquelas perguntas que você não quer responder: como você se viraria se tivesse que gastar uma grande soma com um parente doente que você ama? Ou: você está preparado para a terceira idade? Quem gasta tudo agora não se preocupa para emergências e o arrependimento pode ser grande. Pense quais são suas reais prioridades de vida: uma roupa nova ou a felicidade no curto, médio e longo prazo? Não “queime” dinheiro tentando mostrar para os outros quem você é ou não é. Passe a gastar moderadamente e poupe, essa atitude pode ser muito útil em uma emergência.

%d blogueiros gostam disto: